Brumas


"...o que não tem certeza nem nunca terá, o que não tem concerto nem nunca terá, o que não tem tamanho..."  -  Chico Buarque

 

VÔO  LIVRE

 

alimento tuas asas

com carinho e cuidado

 

mais dia menos dia

sei que voarás alto

e subirás tanto

que talvez te percas de mim

entre as nuvens que alcançares

 

seja como for

teu vôo me fará feliz

 

respiro serenidade

sigo alimentando tuas asas

e a isso chamo

simplesmente

amor

 

(isabella benicio)

 



Escrito por Isabella Benicio às 07h30
[ ] [ ]


"...há um brilho de faca onde o amor vier e ninguém tem o mapa da alma da mulher..."  -  Zé Ramalho

 

DANÇA  DE  UM 

 

quis teu beijo no meu olho

quis meu olho no teu olho

quis beber tuas palavras mágicas

ouvir tuas histórias únicas

contar as minhas

 

quis subir a serra ouvindo Beatles

descer a ladeira de sapato na mão

quem sabe um dia andar de trem

rir solto de piadas sem graça

discutir problemas e filosofia

trocar os poetas mais queridos

 

quis caminhar muda ao teu lado

ver ondas batendo nas pedras

quis que me lambesse as cicatrizes

lamber as lágrimas da tua dor

quis tomar um porre de vinho

brigar e fazer as pazes

quis deitar contigo num lençol de seda

e ver tua mão no meu corpo

ter minha mão no teu

seda com seda

 

quis cantar pra ti, te ouvir cantar,

cantar junto

ouvir tuas tristezas e incertezas

te mostrar minha estrela predileta

ouvir jazz num dia de chuva

língua explorando língua

 

quis andar num jardim sob palmeiras

falar de crianças, de comidas, de família

de sonhos, de desejos, verdades e fantasias

quis deitar na grama e adivinhar o desenho das nuvens

estar lado a lado, cada um lendo seu livro

trocar de livros, trocar opiniões, discordar

 

quis comer cachorro-quente na madrugada

tomar café com pão de queijo

botar mercúrio no machucado

quis cinema domingo à tarde

feira de cacarecos, forró rasgado

coxa entre coxa

ver surgir um beijo na dança

 

quis que me afagasse os medos

quis afagar teus segredos

me orgulhar de teus escritos

te mostrar os meus

acordar assustada de madrugada

e te ter ao lado pra me aninhar

 

quis tão pouco, quis tão tudo

 

não deu pé

não deu samba

não deu jeito

não deu tempo

 

quando um não quer, o outro...

 

(fiquei querendo

mas tudo bem

: ainda consigo cantar)

 

(isabella benicio)

 



Escrito por Isabella Benicio às 19h11
[ ] [ ]


"...ando tão à flor da pele que qualquer beijo de novela me faz chorar..."  -  Zeca Baleiro

 

ÍMPAR

preciso provar de novo um primeiro beijo

um beijo que me morda a boca

que me derreta o dentro

e faça a razão umedecer

 

preciso provar de novo um primeiro beijo

um que me inunde as entranhas

e me tatue com a  língua

o gosto de pra sempre outra vez

 

preciso 

de novo e sempre

do primeiro beijo teu

 

(isabella benicio)

 



Escrito por Isabella Benicio às 21h01
[ ] [ ]


"...passaram anos, muitos anos, ela no céu ele no mar..."  -  Paulo Soledade

 

QUESTÃO  DE  ÓTICA

 

isentas de identidade

elas estão lá e brilham

indecentemente belas

cintilantemente indefinidas

camufladamente iguais

 

qualquer um as assiste

muitos as admiram

poucos as escutam

raros as entendem

 

para tocá-las

há de se perceber

a sutil diferença

na individualidade

do brilhar

 

: na física ilógica do universo

não há outro modo de ser

cúmplice do infinito

 

(isabella benicio)

 



Escrito por Isabella Benicio às 20h27
[ ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Meu perfil





BRASIL, Sudeste, Mulher, de 36 a 45 anos



Histórico


Outros sites
 Balaio Porreta 1986 - Moacy Cirne
 Banga
 Barlavento - Baby
 De propósito - Manuel
 Falares - Saramar
 FDR - Fabio Danesi Rossi
 Impura Poesia - Valéria Tarelho
 in the meadow - Silvia Chueire
 Não Discuto - Ticcia
 Pena e Poesia - Luiz de Aquino
 Poeminhas para matar o tempo e distrair dor de dente - Diovvani Mendonça
 Poesia Sim - Lau Siqueira
 Ponto Gê - Geórgia
 Registros - Maria Claudia
 Vieira Calado - Poesias