Brumas


"...é uma dália o coração dessa mulher, vou casar com ela e seja o que Deus quiser..."  -  Alceu Valença

 

DUAS  DE  MIM

 

dizes que a alegria da minha menina te encanta

que a fome da minha fêmea te enlouquece

que a sensatez da minha maturidade te guia

 

dizes ainda que amas meu sorriso de moleca

minha língua de serpente a se enroscar na tua

minha maneira simples de encarar a dura rotina

 

dizes isso quando mais preciso

: quando estou menina medrosa da vida

fêmea acuada em insegurança

mulher cansada da lida

 

e me estendes teu amor

teu carinho a massagear pés e ego

teu peito a me servir de leito

tuas jabuticabas a me alimentar a alma

 

viras porto onde atraco os medos meus

muro onde descarrego risadas e lamentos

abraço onde reencontro minhas forças

poesia a me devolver bons momentos

 

no repente do teu olhar

consegues me refazer feliz

 

(isabella benicio)

 



Escrito por Isabella Benicio às 06h38
[ ] [ ]


"...quando um certo alguém desperta o sentimento é melhor não resistir e se entregar..."  -  Lulu Santos

 

FÊNIX

 

enquanto tateio meus medos

tatuas meu corpo de beijos

e a alma de sorrisos

 

rendo-me ao colorido de vida

que teus olhos de menino

me oferecem

 

(isabella benicio)

 



Escrito por Isabella Benicio às 11h01
[ ] [ ]


"...eu só queria te contar que eu fui lá fora e vi dois sóis num dia e a vida que ardia sem explicação..."      -      Nando Reis

 

FIAT  LUX

 

hoje um sol me visitou à noite

e era ao mesmo tempo

tão distante e tão presente

tão luz e tão quente

que adormeci entre seus raios

e acordei com jeito de lua nova

outra vez

 

(isabella benicio)



Escrito por Isabella Benicio às 09h05
[ ] [ ]


"...é como querer ficar à beira d'água esperando que o riacho, alguma hora, pousoso esbarre de correr..."  -  Guimarães Rosa

 

MEDUSA

 

Já ia virando a esquina

pra lavar as dores 

naquele canto de mar

quando um monstro

arreganhando  sete sorrisos

afogou  seu  pôr do sol

em ondas que

g

  o

t

  e

j

  a

r

  a

m

uma triste canção

de Caetano.

 

Temendo o sal daquelas águas

recolheu guelras e dores

e nunca mais chorou.

(pelo menos à beira daquele  mar)

 

 

(isabella benicio)

 



Escrito por Isabella Benicio às 00h53
[ ] [ ]


"...cai a tarde sobre os ombros da montanha onde me largo..."  -  Nenung

 

MOSAICO

 

sou tantas que quase

me perco entre os monstros

e fadas que habitam

os sonhos de mim

 

mas ainda reconheço

minha menina saltitante

quando recolho

os estilhaços coloridos

que a madrugada espalhou

e me refaço

pra dar bom dia ao mundo

outra vez

 

(isabella benicio)

 



Escrito por Isabella Benicio às 21h52
[ ] [ ]


"...é a vida, é bonita e é bonita..."  -  Gonzaguinha

 

ALGODÃO  DOCE

 

Uma nuvem-com-cara-de-elefante

me apontou sua tromba de algodão

desafiando a lembrança

e fazendo renascer minha menina.

Olhos azuis vestindo inocência

num avental xadrez de jardim de infância.

Cabelos dourados como o trigo

numa festa de aniversário

onde flores, borboletas gigantes

e a queda do primeiro dente de leite

foram os melhores convidados.

Pipas, lagartixas e carrinhos de rolimã

descendo a mesma ladeira

por onde passeava o medo

do doce cachorro vira-lata.

Gosto de gelatina de morango em casca de laranja,

pisca-pisca de estrelas e enfeites no Natal,

a boneca de pano que uma enchente levou,

concurso de desenho na volta do Jardim Zoológico.

Farra de primos em férias

no jardim da vó Sinoca,

no quintal da tia Sinhá,

em cada casa do Sul,

no sítio do tio João.

Farra, férias e primos gravados no coração.

Minha nuvem trouxe, num lampejo,

alegria, carinho, cuidados, exemplo

de pais que souberam educar.

Risadas, bagunças, brigas, amor

de quatro irmãos que tiveram

o privilégio de aprender o que é um lar.

Meus olhos mergulham novamente no anil do céu

dessa vez só pra agradecer

tanta coisa boa pra lembrar.

Mas... Epa!! O que é aquilo?

Uma nuvem-com-cara-de-girafa!!!...

 

(isabella benicio)

 



Escrito por Isabella Benicio às 00h18
[ ] [ ]


"...a mesma mão que acaria, fere e sai furtiva..."   -   Frejat

 

FARSA

 

quando a ausência

anoitece açoitando

meus dedos tentam

em vão

trabalhar como se fossem

os teus

 

(isabella benicio)

 



Escrito por Isabella Benicio às 19h55
[ ] [ ]


[ página principal ] [ ver mensagens anteriores ]
 
Meu perfil





BRASIL, Sudeste, Mulher, de 36 a 45 anos



Histórico


Outros sites
 Balaio Porreta 1986 - Moacy Cirne
 Banga
 Barlavento - Baby
 De propósito - Manuel
 Falares - Saramar
 FDR - Fabio Danesi Rossi
 Impura Poesia - Valéria Tarelho
 in the meadow - Silvia Chueire
 Não Discuto - Ticcia
 Pena e Poesia - Luiz de Aquino
 Poeminhas para matar o tempo e distrair dor de dente - Diovvani Mendonça
 Poesia Sim - Lau Siqueira
 Ponto Gê - Geórgia
 Registros - Maria Claudia
 Vieira Calado - Poesias